N. S. da Soledade

Nos primeiros séculos do cristianismo, quando os cristãos saíram das catacumbas e puderam exercer livremente o culto, apareceram os primeiros crucifixos, como símbolos da redenção. Mais tarde, começaram a colocar, junto a cruz, a imagem da Virgem Dolorosa. Ela recebeu então a denominação de “Senhora da Soledade”, palavra derivada do latim, que significa solidão, tristeza e saudade.  

A Mãe de Deus era representada levantando os olhos cheios de lágrimas para o céu ou para a cruz. Algumas vezes aparecia, nas suas mãos, o Santo Sudário de Jesus. Na celebração da Via-Sacra, representando as etapas da Caminhada de Cristo carregando a Cruz, num dos Passos há a cena do encontro de Jesus Cristo com sua mãe Maria, chorando com um lencinho na mão.

Deste costume se originou a devoção à Nossa Senhora da Soledade, a mãe sofredora. É a mãe que vive e experimenta, na própria carne, a solidão, o abandono de todos, diante da condenação do Filho sendo levado à morte de cruz. Nossa Senhora da Soledade relembra, ainda, a imensa saudade que a Virgem Maria teve do seu Filho nos três dias que o seu corpo esteve no sepulcro. A devoção a Maria, sob o título de Nossa Senhora da Soledade, foi instituído para homenagear a Virgem durante sua solidão no Sábado Santo, como ela esperava com fé na Ressurreição de seu Filho Amado, o Salvador do mundo.

Segundo a Regra de Vida da Comunidade Católica Siloé a Soledade é, para nós, a figura da mãe que espera, mesmo na dor e na solidão. Os discípulos já não acreditavam mais, parecia que o mundo esqueceria de Jesus, os inimigos cantavam vitória… porém, mesmo no sofrimento, a Mãe acreditava, esperava, silenciava e amava por todos os que assim não faziam. Sua dor era sua resposta de amor… Silêncio e Espera, como Nossa Senhora, Virgem da Soledade, que viveu a dor da perda do Filho, mas que acreditou e aguardou a ressurreição. Mãe que foi testemunha da ressurreição antes dela acontecer, Mãe que permaneceu em Jesus e que esperou três dias para confirmar que o Amor nunca morre, nem é derrotado, mas dá vida, como deu a nós e nos chamou a ser Siloé, emissários do Amor Eucarístico (a palavra Siloé que dizer emissário, em hebraico)”.

Oração de Nossa Senhora da Soledade

 

Virgem digna de todo o louvor, Senhora da Soledade, Vós que permanecestes de pé junto à Cruz do vosso Divino Filho Jesus, e às suas palavras: “Mulher, eis o teu filho”- “filho, eis a tua Mãe”, – tornaste-vos nossa Mãe; acolhei, com bondade, a nossa prece filial.

Santíssima Virgem Maria, Ó Senhora da Soledade, assim como o discípulo acolheu-vos em sua casa, também nós queremos abrir-vos as portas dos nossos corações, dos nossos lares, CONSAGRANDO-VOS toda a nossa vida: passada, presente e futura.

Nossa Senhora da Soledade, rogai por nós!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *