S. M. Madalena

Natural de Mágdala, na Galileia, Maria Madalena foi contemporânea de Jesus Cristo, tendo vivido no Século I. Maria Madalena, Maria de Betania e Maria pecadora, citadas no evangelho são a mesma pessoa segundo o Papa São Gregório, o magno; grande estudioso dos santos e criador do Calendário Gregoriano.

O testemunho de Maria Madalena é encontrado nos quatro Evangelhos:

Os doze estavam com ele, e também mulheres que tinham sido curadas de espíritos maus e de doenças. Maria, dita de Mágdala, da qual haviam saído sete demônios… (Lc 8,1-2).

Foi exorcizada por Jesus. Os “sete demônios” citados no versículo de Lucas com certeza se referem a sete defeitos capitais dos quais Maria Madalena se libertou quando seguiu o caminho do Cristo. Nesse sentido, ela representa a purificação alcançada pelo arrependimento e pela conversão. Ela não é a “nascida Virgem”, mas a “tornada Virgem”. É a Alma purificada para seu retorno à Divindade.

Durante um banquete ao qual Jesus participava, ela lavou seus pés com óleo perfumados e em seguida os enxugou com seus próprios cabelos.

Após ter sido curada por Jesus, Maria Madalena coloca-se a serviço do Reino de Deus, fazendo um caminho de discipulado, de seguimento a Nosso Senhor no amor e no serviço. E este amor maduro de Maria Madalena levou-a até ao momento mais difícil da vida e da missão de Nosso Senhor, permanecendo ao lado d’Ele: “Junto à cruz de Jesus estavam de pé sua mãe e a irmã de sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena” (Jo 19,25). Depois acompanhou o seu sepultamento e Jesus a recompensa com sua presença após a Ressurreição.

Maria Madalena foi a primeira testemunha da Ressurreição de Jesus: “Então, Jesus falou: ‘Maria!’ Ela voltou-se e exclamou, em hebraico: ‘Raboni!’ (que quer dizer: Mestre)” (Jo 20,16). A partir deste encontro com o Ressuscitado, Maria Madalena, discípula fiel, viveu uma vida de testemunho e de luta pela santidade.

Existe também uma tradição de que Maria Madalena, juntamente com a Virgem Maria e o Apóstolo João, foi evangelizar em Éfeso, onde depois veio a falecer nesta cidade. O culto à Santa Maria Madalena no Ocidente propagou-se a partir do Século XII.

Para vivermos o carisma e a missão da Comunidade Católica Siloé tomamos Santa Maria Madalena como modelo de permanência, esperança e fidelidade. Ela permaneceu junto ao Corpo de Jesus sepultado, velando-O, quando tudo já parecia perdido e acabado. Até os discípulos estavam decepcionados e desesperançosos, mas ela permanecia, talvez nem sabia o que esperava, mas continuava a crer contra toda esperança, zelando e amando o Corpo do Senhor.  Como fez Maria Madalena devermos permanecer, porque nossa vida jamais pode se separar do Eucarístico”. (RV/Com. Siloé)

 

Sua festa é comemorada no dia 22 de Julho. Santa Maria Madalena, rogai por nós!

Um comentário em “S. M. Madalena

  • 16 de julho de 2017 em 18:49
    Permalink

    Oi Gente, estou fazendo uma visitinha por aqui.
    Gostei bastante do site, vou ver se acompanho toda semana suas postagens
    Gosto muito desse tipo de conteúdo um Abraço 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *