Deus falou, Deus fala

Bíblia é o livro dos superlativos. Ela é o livro mais traduzido, o mais divulgado, o mais comprado e o mais lido do mundo. E considerando bem, é mais do que apenas um livro que se lê uma vez e depois se deixa acumulando poeira na estante. Deus é o assunto de que se fala na Bíblia, mas acima de tudo ela é a Palavra de Deus dirigida a nós. Na Sagrada Escritura Deus fala pessoalmente a mim, como em uma mensagem de WhatsApp ou, ainda mais bonito, como em uma carta de amor. Quem não gostaria de receber uma carta ou uma mensagem diretamente de Deus?

A Bíblia foi escrita sob a inspiração do Espírito Santo. Certamente, os autores dos livros bíblicos eram pessoas de seu tempo e consequentemente usavam palavras humanas para expressar verdades divinas. Por esse motivo, esses textos devem ser lidos em seu respectivo contexto histórico e cultural. No entanto, a fé da Igreja nos faz vislumbrar algo bem maior do que uma obra literária. A fé em Jesus, o Filho de Deus, dá à Bíblia uma chave interpretativa de toda a Sagrada Escritura. Quando entendemos isso, a Escritura se desdobra para nós como a maravilhosa história do plano divino da salvação.

“Pois a Palavra de Deus é viva, eficaz e mais penetrante que qualquer espada de dois gumes” (Hb 4,12). O Papa Francisco faz referência às palavras de Mahatma Gandhi, que diz: “Vocês, os cristãos, têm ao seu cuidado um documento com dinamite suficiente para explodir toda a civilização em mil pedaços, para colocar o mundo de ponta-cabeça, para trazer a paz a este planeta devastado pela guerra. Mas vocês o tratam como se fosse uma simples obra literária, nada mais do que isso”. Sim, por causa desse poder explosivo da Sagrada Escritura, em muitos países os cristãos são perseguidos, presos e mortos, só porque têm uma Bíblia ou proclamam a Palavra de Deus.

Caros amigos, ninguém iria morrer apenas por um livro, mas por uma declaração de amor, sim! Portanto, deixemos novamente que a Sagrada Escritura ocupe um lugar central em nossas casas, vamos ler frequentemente e rezar com ela. Quanto mais conservarmos – como Nossa Senhora – as palavras de Deus no coração e as colocarmos em prática, tanto mais compreenderemos a plenitude do amor de Deus.

Fonte: ACN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *